Raoni na Europa, novo ataque a Belo Monte

Desde há algum tempo, os brasileiros sabem que o bloqueio da construção da usina hidrelétrica de Belo Monte virou um ponto de honra para o aparato ambientalista-indigenista internacional, que não tem medido esforços para obstaculizar os trabalhos. A investida mais recente é uma turnê do cacique Raoni pela Europa, a convite de ONGs ligadas a notórias fundações externas, na tentativa de, mais uma vez, jogar a opinião pública do Velho Continente contra o projeto hidrelétrico em construção no rio Xingu, no Pará.

A turnê europeia do cacique metuktire inclui atividades na França, Holanda, Suíça, Mônaco e Alemanha, e tem como objetivo declarado sensibilizar os europeus sobre a importância da Amazônia e dos povos da floresta. A primeira parada foi em Paris, onde Raoni se reuniu com ninguém menos que o presidente francês François Hollande, no Palácio do Eliseu, sede do governo, em 29 de novembro. No encontro, o líder indígena, acompanhado por Gert-Peter Bruch, presidente da ONG Planète Amazone, e Nicolas Hulot, presidente da Fundação Nicolas Hulot para a Natureza e o Homem, elogiou o “apoio de Hollande, dos franceses, da Europa e do mundo” à causa ambiental. E, claro, também cobrou apoio do governo francês à campanha contra Belo Monte e pediu a retirada do grupo gaulês Alstom do projeto hidrelétrico (AFP, 29/11/2012).

Segundo a nota oficial emitida pelo Eliseu sobre o encontro, Hollande fez elogios à “trajetória pessoal e ao corajoso compromisso em favor da preservação do meio ambiente” de Raoni, e ressaltou a “importância da participação dos povos autóctones nos debates e negociações que dizem respeito ao seu futuro (Elysee.fr, 29/11/2012)”.

O mandatário francês ainda lembrou a “ação realizada pela França, a fim de favorecer o desenvolvimento sustentável da zona amazônica da Guiana Francesa”, bem como a sua própria participação na conferência Rio+20, realizada em junho último, de modo a destacar o seu comprometimento com a causa indigenista e ambiental. Segundo Hulot, Hollande ainda se comprometeu a defender “a causa de Raoni, dos povos indígenas e da floresta amazônica”, junto à presidente Dilma Rousseff, em sua visita de Estado à França, prevista para 11 de dezembro próximo.

Em comentário sobre a turnê, Hulot disse que, “neste momento em que tendemos a nos aferrar aos próprios interesses locais, nacionais ou regionais, Raoni nos lembra que o que está em jogo são interesses universais, que as mudanças climáticas, o desmatamento, a perda da biodiversidade vão afetar toda a Humanidade”. Em seguida, o ativista ambiental chega às raias do absurdo, propondo a indicação de Raoni para o Prêmio Nobel da Paz e comparando-o ao ex-presidente sul-africano Nelson Mandela. “Raoni teria todos os motivos para ser rancoroso, já que seu território e sua cultura continuam sendo profanados, mas ele é somente amor e respeito”, completou (Notícias Terra, 30/11/2012).

Com o apoio de Bruch e Hulot, Raoni lançou na Europa a campanha “Emergência Amazônia”, que tem Belo Monte como um de seus principais alvos.

O alto perfil da turnê europeia de Raoni, manifestado por seu encontro com o presidente de um país bastante ameaçado pelo aprofundamento da crise econômico-financeira europeia, denota a determinação do aparato ambientalista-indigenista contra Belo Monte e, ao mesmo tempo, demonstra uma vez mais a extensão desses movimentos internacionais, para os quais o cacique de 82 anos tem sido um ícone importante, desde a década de 1980, quando corria o mundo a reboque do cantor inglês Sting.

Em 2001, esse aparato internacional proporcionou a fundação do Instituto Raoni, sediado em Colíder (MT), cuja lista de “parceiros” é bastante significativa. Entre eles, destacam-se algumas instituições veteranas das campanhas ambientalistas e indigenistas contra o Brasil, desfechadas a partir da década de 1980:

– Agência para o Desenvolvimento Internacional dos Estados Unidos (USAID);

– Rainforest Foundation (EUA);

– Conservação Internacional (EUA);

– Environmental Defense Fund (EUA);

– Amazon Watch (EUA);

– Fundo de Conservação Internacional do Canadá (ICFC);

– Embaixada da Noruega.

A Planète Amazone de Gert-Peter Bruch tem o seu site oficial em francês hospedado no endereço www.raoni.com, um obscuro portal que, todavia, tem poucas informações disponíveis.

Já a fundação de Hulot exibe em seu site conexões com instituições de alto nível do Establishment europeu e estadunidense, como a Fundação L’Oreal, o grupo de mídia francês TF1, a rede de hotéis IBIS e a fabricante de painéis solares First Solar.

O ICFC, embora não explicite o montante de recursos doados ao Instituto Raoni, declarou, no seu relatório anual de 2011, uma doação de 514.244 dólares canadenses destinados à desconhecida Associação Floresta Protegida, que também atua com a etnia caiapó de Raonie compartilha a mesma área de atuação, o norte do Mato Grosso e o sul do Pará.

Diante de tais fatos, seria bastante oportuno que o Itamaraty fizesse chegar à sua contraparte francesa, o Quai d’Orsay, com quem a diplomacia brasileira tem um histórico de ótimo relacionamento, que seria, no mínimo, deselegante, se não um constrangimento, que, quando receber sua colega brasileira, o presidente Hollande se fizesse porta-voz de tais pressões espúrias contra um projeto de desenvolvimento considerado vital pelo governo brasileiro. Porém, se isto ocorrer, Dilma faria bem em deixar manifesta a sua contrariedade com semelhante intromissão em assuntos internos do Brasil, o que, também, sinalizaria ao aparato ambientalista-indigenista que paciência tem limites.

3 comments

  1. 2013 o Partido “Gruene” (Verde) da Alemanha e grupos “verdes” da Franca (e ONGs catolicas)ativarao uma ofensiva geopolitica en Europa contra o governo do Brasil devido aos projetos de desenvolvimento (PACs, Belo Monte, Codico Florestal, PECs e PLs do tema indigena). Em Nov. 10, fizeram uma conferencia na Alemanha (liderada pelo diputado verde Thilo Hoppe) junto com Uilton Tuxa da APIB quem visita Europa financiado por a ONG alema “Aktion fuer eine solidarische Welt/Action for World Solidarity” ASW. Ele teve conferencia com uma comissao do congresso alema (Bundestag) e uma entrevista com a subsecretaria federal para desenvolvimento (Gudrun Kopp) para que ela cobrasse resposta do governo do Brasil. Logo Uilton Tuxa viajou a Ginebra/Suica para deixar uma queixa contra o goberno do Brasil na ONU-OHCHR (contra Belo Monte, Rio Sao Francisco, Portaria 303, PEC 215, muitos outros PECs e PLs) — A agencia geopolitica do Partido Verde alema, no Brasil, e “Fundacao Heinrich Boell Rio” (no site agora tem todo acerca a carta de Xingu Vivo contra o BNDES financiar Belo Monte. Interesante as ONGs neste documento.)

  2. Entre as MILES de ONGs ao servico dos intereses geopoliticos dos EUA e OTAN-Europa – ha algumas importantes, mas a maioria nao tem mas de uma centena ou menos “ativistas”. Para algums e um “ego trip”= estimulo para a auto-importancia. Mas e um negocio para pessoas com educacao inutil (teologia, ciencia politica ) para fazer uma carreira confortavel e com viagems internacionais: Ao fim o dinheiro chega filtrado por “fundacoes” desde os governos de EUA, Bretanha, Alemanha e outros da OTAN para desestabilicar os governos “independentes” na America Latina e outros continentes. Uma ONG agressivamente entremetida na Sul-America, desde EUA, e “Amazon Watch” – fundado por a Irani (exiliada do Ira) Atossa Soltani em 1992. Ira (Iran) teve um governo democratico 1953 que queria nacionalizar o petroleo de empressas de EUA e Bretanha. A CIA fez um golpe e instalou um ditator – o Sha Reza Palevi, quem tinha de fugir em 1979 devido a revolucao islamista-nacionalista. Atossa Soltani chegou com a onda de exiliados aos EUA em 1979. Logo estudou “administracao publica”. Na decade 1980-1990 esteve ativa com ONG ambientais – mas nao existe informacao exacta. Llogo esteve por um ano como funcionaria duma cidade. “Amazon Watch” e principalmente financiado por dos familias multimilionarias do exilio de Ira, quem tem negocios nos EUA, (high tech computadores, imobiliarias). O financiamento de ONGs reduce pagar impostos federais. Atossa Soltani tem recrutado ao produtor de Hollywood, James “Avatar” Cameron (veja video “James Cameron Hypocrite”).

  3. Excellent goods from you, man. 301 Moved Permanently I’ve understand your stuff previous to and you’re just too great. I really like what you’ve acquired here, really like what you’re saying and the way in which you say it. You make it entertaining and you still take care of to keep it wise. I can not wait to read far more from you. This is really a tremendous 301 Moved Permanently informations.

x

Check Also

Juiz anula ampliação de terra indígena em MS com base no marco temporal

O aparato indigenista está em fúria, após a anulação da demarcação da Terra Indígena Panambi-Lagoa ...