Do coronavírus ao vírus da misantropia “verde”: uma seleção

A seguir, “presenteamos” os leitores com uma seleção das mais significativas manifestações dos ativistas climáticos, em suas tentativas de equiparar a crise da pandemia de covid-19 com a sua crise climática, que, embora artificial, tem sido manipulada como uma grande oportunidade para combinar negócios e restrições políticas ao desenvolvimento, sob o disfarce da “sustentabilidade”. Algumas chegam às raias do bizarro, demonstrando sem rodeios a misantropia dos seus autores.

– Christiana Figueres, ex-secretária-executiva da Convenção-Quadro das Nações Unidas para as Mudanças Climáticas (UNFCCC), entrevista ao Channel 4 (02/03/2020):

“(Esperemos mais surtos epidêmicos) se continuarmos a negar, iludir-nos e retardar (as ações) sobre as mudanças climáticas… Bem, ironicamente, claro, esse é o outro lado disso, certo? Ela (a pandemia) pode ser boa para o clima… porque há menos comércio, há menos viagens, menos transações.”

– em debate na NBC News (17/04/2020):

“Há uma responsabilidade incrível – para não chamar de oportunidade – para, realmente, convergir as soluções – pelo menos, as soluções financeiras – para o coronavírus e as soluções financeiras para o clima. Porque o que não podemos dar-nos ao luxo de fazer é pular da frigideira da covid e cair no fogo alto das mudanças climáticas.”

– Ed Conway, editor de economia da Sky News (The Times05/03/2020):

“Não levem isto para o caminho errado, mas se você for um jovem ambientalista de linha dura buscando a arma definitiva contra as mudanças climáticas, dificilmente, poderia projetar algo melhor que o coronavírus. Ao contrário da maioria das outras tais doenças, ele mata principalmente os velhos, que, convenhamos, são mais prováveis de serem céticos do clima. Ele poupa os jovens. Acima de tudo, ele entrava as forças que têm estado gerando gases de efeito estufa durante décadas.”

– Jamie Margolin, fundadora do grupo de ação climática juvenil This is Zero Hour (Teen Vogue, 18/03/2020):

“Se nós podemos fechar o mundo para parar um vírus, isto também significa que é possível fazer o mesmo pelas mudanças climáticas. Tratem todas as emergências como emergências!”

– Barack Obama, ex-presidente dos EUA (WND, 24/03/2020):

“Nós temos visto de forma terrível as consequências daqueles que negavam as advertências de uma pandemia. Não podemos mais tolerar as consequências da negação do clima. Todos nós, especialmente, os jovens, temos que exigir mais do nosso governo em cada nível e votar neste outono.”

– Hans-Joachim Schellnhuber, físico e fundador e presidente do Instituto Potsdam de Pesquisas de Impactos Climáticos (PIK) (Project Syndicate, 24/03/2020):

“A pandemia de coronavírus é um chamado de alerta para se parar de exceder os limites do planeta. Afinal de contas, o desmatamento, a perda de biodiversidade e as mudanças climáticas, todos tornam as pandemias mais prováveis. O desmatamento aproxima animais selvagens das populações humanas, aumentando a probabilidade de que vírus zoonóticos como o Sars-CoV-2 façam o salto interespécies. Igualmente, o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) adverte que o aquecimento global, provavelmente, irá acelerar a emergência de novos vírus.”

– Thomas Schomerus, professor de Direito Público da Universidade Leuphana, Lueneburg (Alemanha) (blog Corona und Klima – Krise als Chance, 24/03/2020):

“Tanto a crise do coronavírus como a do clima requerem medidas de restrição de liberdade. O quanto mais cedo e mais vigorosas forem definidas e implementadas, mais cedo pode-se esperar o sucesso que é vital para a sobrevivência. A este respeito, as medidas de proteção para o coronavírus e o clima não diferem em princípio, mas apenas no eixo do tempo. O seguinte também se aplica à proteção climática: quanto mais antecipadas e mais abrangentes elas forem tomadas, menores serão os custos ecológicos, econômicos e sociais.”

– Al Gore, ex-vice-presidente dos EUA (Newsmax, 11/04/2020):

“Os cientistas nos advertiram sobre o coronavírus e eles nos advertiram sobre a crise climática, e nós temos visto os perigos de se esperar até ser tarde demais para ouvir as advertências dos doutores e cientistas sobre esse vírus… Os combustíveis fósseis são uma condição pré-existente para a covid-19.”

– The Guardian (editorial, 12/04/2020):

“Os fechamentos em massa que experimentamos agora – provavelmente, necessários em uma pandemia – poderia proporcionar um modelo para a imposição de medidas duras para cortar as emissões de carbono que os ativistas consideram ameaças tão grandes ou maiores do que o próprio vírus.”

– Carlos Nobre, presidente do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas e pesquisador sênior do Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo (conferência online, 14/04/2020)

“A Amazônia tem a maior quantidade de microorganismos do mundo. E estamos perturbando o sistema o tempo todo, com populações urbanas se aproximando, desmatamento e comércio de animais silvestres. Então, talvez tenha sido sorte que a pandemia não tenha começado no Brasil… Dá para fazer um paralelo entre essas crises globais. Essa pandemia nos mostra o que pode acontecer quando há um desequilíbrio do sistema. Ela é um alerta e um guia para evitarmos grandes riscos, como os que as mudanças climáticas poderão trazer para a vida na Terra. Se a temperatura do planeta subir cinco graus, os humanos vão ter de viver confinados, como agora, porque em determinados horários todos os dias o termômetro vai estar além do limite fisiológico do corpo nas áreas tropicais como o Brasil.”

– Green Climate Fund (Skynews, 20/04/2020):

“Ao passo que a covid-19 está causando sofrimentos inomináveis, a resposta internacional a essa crise de saúde sem precedentes nos tempos modernos oferece uma oportunidade para direcionar as finanças para apoiar a ação climática… Similarmente, nós ampliaremos os nossos esforços para catalisar investimentos verdes para relançar as economias em trajetórias de baixas emissões e de resiliência climática.”

– Mark Hertsgaard, diretor-executivo da Covering Climate Now, e Kyle Pope, editor-em-chefe da revista Columbia Journalism Review (The Nation20/04/2020):

“Por mais tenebroso que o coronavírus seja, ele é algo como um ensaio para os desafios de uma crise climática que continua a acelerar… As similaridades entre as causas e as soluções para o coronavírus e a crise climática são nada menos que impressionantes.”

– Greta Thunberg, ativista climática juvenil, declaração no Dia da Terra, 22 de abril (Washington Times22/04/2020):

“A emergência climática e ambiental ainda continua. Nós precisamos enfrentar tanto a pandemia de coronavírus, essa crise, ao mesmo tempo em que enfrentamos a emergência climática e ambiental, porque precisamos ser capazes de enfrentar duas crises ao mesmo tempo… É ainda mais importante que nós ouçamos os cientistas, a ciência e os especialistas. Isso vale para todas as crises, seja a crise do coronavírus ou a crise do clima, que, é claro que continua e não está desacelerando, mesmo em tempos como esses.”

– Monsenhor Marcelo Sánchez Sorondo, chanceler da Pontifícia Academia de Ciências (PAC) e da Pontifícia Academia de Ciências Sociais (PACS), Joachim von Braun, presidente da PAC, e Stefano Zamagni, presidente da PACS (L’Osservatore Romano22/04/2020):

“Outras importantes crises globais, como as mudanças climáticas e a perda de biodiversidade, requerem respostas igualmente mundiais e cooperativas que não ignorem os pobres. Uma vez que a Covid-19 esteja sob controle, o mundo não poderá voltar à rotina anterior. Devem ser profundamente revistas as nossas concepções de mundo, os estilos de vida e os problemas da avaliação econômica de curto prazo. Se quisermos sobreviver ao Antropoceno, é necessária uma sociedade mais responsável, mais solidária, mais inclusiva e mais justa.”

– António Guterres, secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) (New York Times28/04/2020):

“O impacto do coronavírus é imediato e assustador. Nós devemos agir agora e devemos agir juntos. Assim como devemos agir juntos para enfrentar outra emergência global urgente, a qual não devemos perder de vista – a mudança climática. Na semana passada, a Organização Meteorológica Mundial divulgou dados mostrando que as temperaturas já aumentaram 1,1 grau centígrado sobre os níveis pré-industriais. O mundo está no caminho de uma disrupção climática devastadora, da qual ninguém pode se isolar.”

x

Check Also

A “retomada verde” da OTAN

Por Lorenzo Carrasco e Geraldo Luís Lino Desde a implosão da União Soviética e do ...